Páginas

quarta-feira, 27 de abril de 2011

CLI-CHÊ

Uma coisa que eu "aprendi" me lascando, é que as coisas são do jeito que são e a nossa vontade de faze las diferente não muda isso.


Tô confusa, magoada, triste, parece que meu coração está amarrado com uma corda preta e o coitado não consegue mais bater.Minha intuição me deu um "foda-se, vc nunca me ouviu mesmo" e sumiu....


Por mais que desejamos viver uma coisa, temos que saber discernir se vai ser bom ou ruim...e isso a gente sente... e o X da questão é esse : se vai me fazer mal, se já está me fazendo mal, se já me causou um mal...pq eu insisto?


Sou só eu que faço isso comigo mesma? Acho que cansei de abrir mão das pessoas que eu amo com medo que elas me façam sofrer..esqueço que elas também podem me amar, já to tão acustumada com os "nãos" da vida, que nem espero mais receber um "sim"....Tô com medo de me tornar uma mulher ressentida.....sei lá....tudo o q eu tive mais medo, aconteceu..então.....


"Uma alma ferida que teme a dor, uma pessoa amargurada , um coração carente e uma cabeça atordoada"


CLI-CLÊ...o q eu disse no post anterior?

4 comentários:

Déia disse...

Querida,

A gente vai cair uma, duas, dez vezes, mas nunca podemos desistir de amar e sermos amadas.
não tem como adivinharmos, a não ser que a coisa seja totalmente escancarada, mas mesmo assim, merecemos nosso perdão, pois coisas do coração são complicadas mesmo!
Seria clichê eu falar que o azar foi dele? É, seria! Mas foi e pronto!
Vc é minha linda! e ainda vai ser muito feliz!
bj

Debor@h disse...

Amandita, tudo que vc pensa de verdade ta la no meu blog hoje haha, bjs e assim que der nos vemos, ja to no Brasil, bjs!!

Dil Santos disse...

Amandica menina, q saudade de tu mulher, rsrs. Vc tá bem?
Eu sei bem como é isso menina, mas de uma forma ou de outro, acabamos aprendendo né? Apesar dos tantos nãos recebidos, uma hora o sim ou os sins, chegam, rsrs.
Bjo menina

Daniel Savio disse...

Ai, ai, sou da mesma opinião da Déia, não se pode desistir de amar...

E melhoras amiga.

Fique com Deus, menina Amanda.
Um abraço.